1 comentário

A Hospedeira nas telas do cinema

cinema coluna Natália Tiemi

capa_A_hospedeira_300dpi_red

O filme “A Hospedeira” ou na versão original, “The Host”, estreou nas telas do cinema do Brasil no dia 29/03/2013 e vai até o dia 04/04/2013. O gênero é: fantasia, ficção científica, romance e suspense; o tempo de duração é de 125 minutos e a censura é para maiores de 12 anos.

A Hospedeira antes de tudo era um livro, feito por Stephanie Mayer, autora também da saga e best-seller famosos, Crepúsculo, mas passou a ser um filme, tendo como diretor e também roteirista, junto com a ajuda da autora do livro,  Andrew Niccol.

A Hospedeira aborda o tema invasão alienígena, onde estes, conhecidos como almas, tomam as mentes dos humanos ao adentrar em seu corpo, tomando-os para si. Isto acontece, porque eles são seres que só buscam a paz entre si, nada de brigas ou guerras, tudo o que é natural para os seres humanos. Assim, eles capturam estes humanos e tomam seus corpos, tudo em nome da paz, já que estes já estavam destruindo seu mundo antes mesmo deles chegarem; e como todo filme de ficção com o tema invasão alienígena, sempre há a resistência e sobre esta resistância, o filme aborda a personagem principal Melanie Stryder (Saoirse Ronan).

Melanie é uma garota como todas as outras, que teve a infelicidade de ter seu mundo invadido por extraterrestres, a partir daí, ela e seu irmão, Jamie (Chandler Canterbury) fogem para se protegerem das almas e para não serem dominados por elas. Entretanto, certo dia, Melanie e Jamie se vêem cercados pelas criaturas e ela se sacrifica para que o irmão possa se salvar. Ao ser capturada, Melanie passa a ser dominada por uma alma chamada Peregrina, que tem por missão observar as lembranças de seu corpo para poder dar informações os Buscadores e para que estes possam encontrar os outros humanos. Contudo, há um problema para Peregrina, a consciência de Melanie ainda está viva dentro do corpo, o que faz com que esta tenha que lidar com ela constantemente e como Peregrina é uma alma boa, ela fica cada vez mais fascinada com a vida e os sentimentos que Melanie tinha e para a protegê-la da Buscadora ( (Diane Kruger), que deseja capturar seus amigos humanos o quanto antes.

No filme, não menos importante do que a invasão alienígena e tudo o mais que isto engloba, há o romance. Melanie é apaixonada por Jared (Max Irons). O problema é que agora o corpo de Mel está com Peregrina e os humanos conseguem distinguir as almas pelos olhos com íris diferenciadas, portanto, quando a vê novamente, sabe que não se trata mais da sua amada e sim, de uma inimiga. Peregrina, recebe o nome de Peg, acaba tendo um interesse amoroso por Ian (Jake Abel) e aí se torna o “quadrado amoroso”, pois Mel está com ciúmes de Peg e esta está confusa por todos estes sentimentos novos que ela está descobrindo.

O filme conseguiu arrecadar de orçamento US$ 44 milhões.

Opinião:

Existem dois aspectos negativos que eu vi ao ver o filme:

1. O problema do “quadrado amoroso”, não que este seja ruim, mas pode deixar a quem está assistindo, confusos, pois, afinal, Melanie ama Jared, porém, sente algo por outro, e mesmo que seja Peg, é a mesma personagem.

2. O elenco é maravilhoso, mas há cenas que deixam a desejar. Por exemplo, há cenas em que simplesmente não acontece nada e a expectativa para quem já leu o livro vai caindo, porque espera ter mais ação, o que quer que fosse acontecer, mas que acontecesse naquele minuto.

Esses são dois são os aspectos negativos que notei, enquanto telespectadora. O filme, em comparação ao livro, perde, mas é claro que não dava para esperar que fosse igual, porque não tinha tempo o suficiente para se passar o livro todo ali, nas telas. Todavia, o romance consegue abrandar estes pontos negativos e salvar o filme, do meu ponto de vista, além do mais, a química entre Saoirse Ronan e Max e Jake é ótima.

Para finalizar, o diretor e também roteirista, Andrew Niccol também fez filmes como: Gattaca – Experiência Genética (1997), Simone (2002), O Preço do Amanhã (2011), o que dá a entender que ele gosta de fazer ficção, ou como ele diz: “Geralmente é mais fácil mostrar uma situação atual num outro tempo; pelo menos eu acho”.

Um comentário em “A Hospedeira nas telas do cinema

  1. parabéns ao site…. que vcs tenham sucesso e que o futuro na profissão jornalistica seja abençoado por Deus….

COMENTÁRIOS

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: